domingo, 26 de fevereiro de 2012

Me deixe ir...



Me deixe ir....


Minhas coisas já estão prontas.


Já apaguei os vestígios de minha presença ao seu lado.


Já encaixotei nossos sonhos e coloquei no lixo.


Já amassei todas as cartas de amor


Já toquei fogo nos nossos lençoís


Usei o extintor para apagar o nosso fogoso rastro


Meu cheiro já foi extinto


Coloquei no lixo os danones e chocolates, que você compra pra mim.


Me lavei e coloquei um perfume novo, já não tenho o cheiro antigo


Vendi nossas fotos para um jornal qualquer e o lucro deixei com o mendigo, que sempre disse que eramos um lindo casal.


Vendi nossos moveis e depositei uma parte na minha conta, nossa conta não é mais conjunta. Calculei nossas partes e tens o que te coube.


tempos depois...


Me lanço no mar, como uma renovaçãoPercebo que o sapato que você me deu solta do meu pé, perdi você em mim.Quando voltava para casa, molhada e tremula, nossa musica tocou, uma das coisas que não consegui apagar. Nossos momentos, como um filminho, passaram em minha mente. Que droga.Corri para o nosso antigo lar, COMO VOCÊ NÃO MUDOU A CHAVE?? CONTINUA O MESMO IDIOTA DE SEMPRE... E EU TAMBÉM, JÁ QUE TENHO A CHAVE COMIGO.


Na parede da sala estava escrito: TE DEIXO IR, MAS VOLTE UM DIA!


E você estava sentado, com aquele sorriso infantil, escondendo seu rosto. Vi seus olhos, seus olhos de chocolate derretido, seus olhos em mim.


Percebi que tinha atravessado a cidade inteira com um só sapato. O que faltava estava nas suas mãos. Como pode?


- Me deixe ir. Sussurrei com a voz que ainda me restava, tartamudeando na garganta.


- Te deixei, mas me apaixonei por uma garota desconhecida, que se jogou no mar com roupa e tudo, nem percebeu que um de seus sapatos fois arrastado até meus pés. Uma garota linda, desconhecida até então. Fugi, com medo de que seus olhos fossem tão gelados e coléricos, quanto o que vi da minha garota, a garota que me abandonou. Medo de recomeçar. Depois ouvi seu sorriso, o que acelerou meus pés. Era você, me apaixonei por você de novo; Só percebi aqui que ainda carregava seu sapato.


- Mas...


- E de novo, por favor, me deixe falar;


- tudo bem..


- Me apaixonei por você de novo, me apaixonei pelas paredes em branco, que preenchi para você. Te amo. Como nunca, como sempre.


- E como vamos fazer?


- Nos amar! caso você me ame.










E é claro, eu o amava